3 maneiras de fugir da crise financeira abrindo uma loja virtual de Sucesso.

Tempo de leitura: 3 minutos

A “tão esperada” crise financeira chegou e não promete nos deixar tão cedo. Em meio a esse cenário, as demissões são cada vez mais frequentes: atingem não só o pequeno setor como principalmente as grandes indústrias e empresas multinacionais. Os contratos também vão chegando ao fim, e com eles, a demissão é quase que unânime. Infelizmente, as empresas não conseguem oferecer o suporte que gostariam para manter todos seus funcionários – especialmente com o salário que merecem.

Mas já pensou que existem outras formas de se manter durante a crise? Pois é: e certamente a mais atrativa – tanto financeiramente como também pela flexibilidade de tempo que oferece – é envolvendo o trabalho remoto por meio de uma loja virtual.

E se você também está precisando sair do vermelho, o que vale também para os que estão empregados, mas precisam de uma renda extra no final do mês, seguir as tendências que o mercado está lhe oferecendo pode ser o passaporte de saída para a crise.

Neste sentido, confira neste artigo 3 maneiras de fugir da crise financeira abrindo uma loja virtual de sucesso.

Veículos de comunicação de grande porte, como o Bom Dia Brasil, da TV Globo, recentemente teve como destaque a reportagem com a seguinte chamada: “o e-commerce é a grande oportunidade de aposta para quem tem loja física”. Pois é: trocar a estrutura física – e consequentemente, os seus gastos – pelos mantimentos dessas mesmas atividades, com o diferencial de serem realizadas na internet, certamente é a melhor forma de manter-se lucrando durante a crise.

1. Ao abrir uma loja virtual, você economiza não só tempo como dinheiro. Além disso, já não precisa mais manter burocracias envolvendo documentação, aluguel de estrutura física e outros;

2. Por outro lado, você também foge da crise financeira a medida de que continua ofertando seus produtos ou serviços, porém, com estratégias voltadas unicamente ao virtual. E ao considerar que mais de 60% dos indivíduos que estão na internet dão prioridade às compras realizadas por meio dela, certamente você não sai perdendo em nada, mas pelo contrário;

3. É também dessa forma que você evita endividamentos – tanto com a estrutura física como também envolvendo você e seus funcionários, assim como problemas com cartão de crédito ou empréstimos para manter a loja.

Para Sueli, por exemplo, as coisas começaram a mudar quando ela decidiu abrir mão do aluguel de sua estrutura física para a venda de salgadinhos, mantendo a produção em casa e vendendo somente pela internet. Confira o depoimento:

“O aluguel do espaço de duas salas que eu tinha começou a ficar pequeno, ao mesmo tempo em que o valor mensal só aumentava por conta da crise. Abri mão do lugar e apostei na criação de um site para a divulgação de meus salgadinhos, que já eram bem conhecidos no bairro. Fiquei até surpresa. Agora meus clientes me encontram com maior facilidade e ofereço a eles os mesmos produtos de antes. Mas agora posso fazer na minha própria casa, meu filho me ajuda com a administração do site e a demanda vai bem, assim como as economias”.

Já Thiago viveu algo bem similar:

“Eu tinha uma loja física de suplementos alimentares que ficava ao lado de uma academia. Para mim, nenhum lugar poderia ser mais lucrativo do que aquele. Tudo isso até eu conhecer o e-commerce. Desenvolvi um site e criei estratégias bem intensas de divulgação do mesmo (e dos produtos que eu vendo) nas redes sociais, principalmente no Facebook e no Instagram. Os resultados foram inimagináveis. Além do público que eu já tinha, da academia ao lado, conquistei parcelas que eu nem sequer imaginava que tinha. Agora, as vendas estão bem altas e, já no mês que vem, estou pensando em fechar a loja física, já que ela acaba me trazendo mais despesas do que lucros”.

Com base nestas histórias, o que você ainda está esperando?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *