As 5 dúvidas mais comuns sobre a legalização do negócio de loja virtual

Tempo de leitura: 3 minutos

Cada vez mais pessoas querem deixar de lado a vida de empregado e investir em um negócio próprio, colocando dinheiro e empenho pessoal em uma causa própria. Esses planos normalmente começam como um sonho, mas, muitas vezes, são colocados à prova quando os futuros empreendedores se deparam com questões burocráticas e investimentos necessários.

Ter ou não ter CNPJ?

Mas, se a dúvida é se o negócio deve ser formalizado, a resposta é sempre sim. Apesar de existirem empresas que atuam na ilegalidade, escondidas atrás de uma pessoa física, a formalização é a melhor opção para tornar o seu negócio ainda mais profissional. Além disso, o básico que se espera em qualquer empreendimento é que ele esteja de acordo com as leis vigentes em nosso país. A necessidade de legalização do negócio não existe apenas para as lojas físicas, mas também para quem quer abrir uma loja virtual, oferecendo o serviço de vendas online.

Legalizando o negócio

O processo de abertura de empresa é razoavelmente simples e existem três modelos iniciais que são: Microempreendedor Individual (Mei), que deve ter um faturamento médio de R$ 60 mil/ ano, microempresa, para empresas que acumulam o montante de R$ 360 mil também anuais e empresa de pequeno porte, com faturamento entre R$ 360 mil a R$ 3,6 milhões/ano. Uma das diferenças mais evidentes dentro dos três modelos é o valor que você terá que pagar mensalmente, pois, enquanto o microempreendedor individual tem uma parcela fixa considerada baixa, independentemente do faturamento, desde que esteja dentro da faixa prevista, os outros modelos são cobrados por meio de porcentagens maiores de acordo com o dinheiro que entra na empresa. Além disso, existe a obrigatoriedade da contratação de um escritório de contabilidade, não só para a abertura da nova empresa, mas também para o acompanhamento mensal de todas as operações fiscais de sua empresa.

Legalização da profissão

Dependendo do ramo de sua empresa, a estrutura física não é tão importante. Por exemplo, se você for abrir uma empresa de publicidade, de lembranças para festa, ou algo que não precise de um imóvel específico, a empresa poderá ser desenvolvida até mesmo dentro de casa. Mas, se a intenção for abrir um posto de gasolina, por exemplo, será necessário um espaço adequado, com alvará de localização, licença ambiental e laudo, que é de responsabilidade do Corpo de Bombeiros.

Respeitar as leis

As obrigações da nova empresa e consequentemente do novo empresário são muitas, mas novamente dependem do ramo escolhido. Em alguns casos, é necessário ser associado a instituições da classe que se escolheu, por exemplo.

Mas, o que é comum para todo o tipo de empresa é a necessidade da emissão de notas fiscais, assim como as declarações de renda feitas de maneira correta e pontual, além do pagamento de todas as taxas e encargos necessários.

O que pode acontecer com a empresa que não tem CNPJ

Toda empresa precisa ter CNPJ, se não tiver está atuando de maneira ilegal, deixando de pagar os tributos necessários, além de não estar oferecendo a mínima segurança aos seus clientes. Caso uma empresa seja flagrada nestas condições, ela pode ser até interditada.

Desta forma é muito importante que, você lojista, fique sempre atento as estas dicas acima. Se você gostou deixe seu comentário, curta ou compartilhe.

 

3 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *