Conheça o panorama atual do empreendedorismo feminino

No Brasil, o empreendedorismo feminino cresceu significativos 16% nos últimos dez anos. Apesar desse dado representar uma boa notícia, ainda há muito espaço para crescimento conforme mais mulheres decidam aproveitar suas diversificadas habilidades no mundo empresarial.

Existe ainda muito caminho pela frente, quando se fala em igualar os gêneros nos diversos ambientes de negócios. Não só a proporção de mulheres empreendedoras é extremamente baixa em comparação ao sexo masculino, também as oportunidades tendem a ser mais difíceis de encontrar.

O fato é que a mulher empreendedora enfrenta maiores contratempos do que o homem quando abre seu próprio negócio.

Neste post apresentamos os principais elementos que compõem o cenário atual do empreendedorismo feminino, as medidas necessárias para sua expansão e, a seguir, uma dica de negócio extremamente rentável para mulheres empreendedoras! Acompanhe!

Condições de acesso a financiamentos

Vários estudos, incluindo um realizado pelo Sebrae, mostram que as mulheres iniciam empresas com capital menor, optando por pequenos empréstimos e procurando a família para conselhos e financiamento, ao invés de buscar esse mesmo apoio junto a bancos ou fundos de capital de risco, como o faz a maior parte dos empreendedores masculinos.

Isto justifica a necessidade de promoção de medidas para que as mulheres consigam um melhor acesso ao financiamento: o objetivo deve ser, especialmente, apoiar a criação de planos de negócios viáveis a longo prazo que possam ser atraentes, para obter empréstimos bancários.

Além disso, o empreendedorismo feminino pode se beneficiar de novas e pouco usuais opções de financiamento, como o microfinanciamento e o crowdfunding, a fim de estimular ambientes de negócios nos quais as mulheres possam competir em igualdade de condições.

Educação e treinamento

O fato de poucas mulheres atuarem em negócios relacionados à tecnologia pode ser atribuído a deficiências educacionais e formativas. Das empresas de alta tecnologia que você conhece, quantas têm mulheres como proprietárias ou principais acionistas? Certamente muito poucas.

Isso mostra que áreas como ciência aplicada a negócios, tecnologia e inovação são menos atraentes para as mulheres. Para mudar esse quadro, as meninas devem ser empoderadas desde cedo: é importante criar uma cultura, na escola e nas empresas, que seja inclusiva e proporcione a mesma formação para homens e mulheres, encorajando-as a seguirem carreira em segmentos que envolvam novas tecnologias, ambientes digitais, TI etc.

Redes de informação e de negócios

Para promover o empreendedorismo feminino, temos de olhar além da fase inicial – já superada – de arranque e chegada das mulheres ao mundo dos negócios. Trata-se agora, de ampliar o acesso e a visibilidade delas junto às redes empresariais (business network).

Essas redes podem fornecer assistência técnica e de gestão, partilhar boas práticas, desenvolver conceitos de negócio e fomentar potenciais parcerias e apoios. Nesse sentido, orientações mercadológicas, suporte entre os pares e fundos de investimentos específicos são apenas algumas ferramentas para garantir o apoio social adequado ao empreendedorismo feminino.

Empreendedorismo feminino – a necessidade de uma abordagem ampla

Para realizar o pleno potencial do empreendedorismo feminino é preciso mais do que iniciativas sazonais: deve-se melhorar as condições gerais. Em suma, devemos ser capazes de realizar uma abordagem holística para gerar ambientes que permitam às mulheres desenvolver suas competências e tornarem-se empresárias bem-sucedidas.

Isto inclui o equilíbrio entre a vida profissional e privada, além da superação dos estereótipos existentes relacionados às capacidades das mulheres no empreendedorismo. Ideias preconceituosas, infelizmente, ainda persistem.

Insights de negócio e ideias inovadoras se, vindas de uma empreendedora, tem menores chances de aceitação – sobretudo em setores tecnológicos –, pois muitos líderes empresarias e investidores continuam a considerar que as mulheres transmitem menos credibilidade ou são menos profissionais.

Como resultado, potenciais clientes, fornecedores, parceiros e investidores olham para o empreendedorismo feminino com certo ceticismo mal disfarçado.

Que tal colocar essas dicas em prática na sua própria loja virtual?

Embora tenham sido alcançados consideráveis progressos no que diz respeito ao equilíbrio entre a vida privada e profissional, ainda são muitas as mulheres que, total ou parcialmente, sacrificam suas carreiras em prol de suas famílias.

Enquanto a divisão de responsabilidades entre mulheres e homens não for realizada de forma justa, a sobrecarga das tarefas que pesam sobre as mulheres continuará sendo um obstáculo significativo à realização plena de todo o imenso potencial do empreendedorismo feminino para o crescimento econômico e a geração de emprego e renda.

Como a mulher empreendedora pode se colocar diante deste cenário e obter sucesso

Se os obstáculos são muitos, as oportunidades abertas para o empreendedorismo feminino são ainda maiores. Se você é uma mulher empreendedora, não há época melhor para começar o seu negócio do que agora!

Uma área muito promissora e que já vem, há um bom tempo, oferecendo excelente rentabilidade é o e-commerce. O ambiente competitivo não é tão machista e ainda há um grande mercado não totalmente explorado no Brasil: o de lojas virtuais!

Veja 3 motivos que explicam por que esta pode ser uma boa ideia para você:

1. Aumento da sua base de clientes

Talvez você já dedique parte do seu orçamento para atrair novos clientes por meio de anúncios em jornais ou spots de rádio, por exemplo. Um dos grandes benefícios de se abrir uma loja virtual é a possibilidade de atingir clientes a quilômetros de distância enquanto continua comercializando seus produtos à sua carteira de clientes locais.

Os únicos limites de uma loja virtual são aqueles representados por taxas de envio e pela espera dos clientes pelo produto chegar em suas casas. Você pode até mesmo descobrir que seus produtos são extremamente populares em lugares dos quais nunca sequer ouviu falar!

2. Venda sob demanda

A loja virtual será seu posto avançado na internet. Em uma loja física, os clientes esperam poder sair com os itens que acabaram de comprar, mas em uma loja virtual, sabem que haverá certo período de espera.

Desse modo, você não terá que assumir o risco de comprar 300 itens de um produto para estocar no caso de haver um aumento súbito nas vendas. Em vez disso, basta mostrar aos visitantes da loja virtual a imagem e a descrição do produto e manter um olho no inventário.

Existem softwares que podem mantê-la atualizada sobre a quantidade de produtos em estoque e a dinâmica de vendas específica de cada um deles. Mesmo se você própria crie os produtos ou compre-os de fornecedores para revender na loja virtual, você conseguirá acompanhar a demanda.

3. Loja aberta 24 horas por dia

Sua loja virtual permanecerá aberta e disponível mesmo quando você estiver dormindo ou longe de um computador. Os clientes podem comprar no conforto de seus pijamas enquanto esperam seus filhos irem dormir ou durante os intervalos comerciais de seus programas de TV favoritos.

As lojas virtuais são grandes impulsionadoras do empreendedorismo feminino e, ao possuir uma, você nem sequer terá que se preocupar com o pagamento de horas extras a funcionários ou altas contas de energia elétrica, graças ao fato de que as portas de sua loja serão virtuais. Além disso, elas nunca irão fechar!

Gostou do nosso artigo? Faça um comentário no post e deixe sua opinião sobre o protagonismo feminino no mundo dos negócios!

Deixe uma resposta

Envie este artigo para um amigo...

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest

Achamos que você vai se interessar também...

Consultoria grátis?

Receba semanalmente as dicas dos nossos experts em comércio eletrônico.

Prometemos nunca enviar SPAM.