Saiba quais são os melhores produtos para vender em sua loja virtual

Saiba quais são os melhores produtos para vender em sua loja virtual

Diante da possibilidade de empreender no meio digital, é sempre bom perguntar quais os melhores produtos ao criar uma loja virtual. Nesse contexto, algumas dúvidas sobre o funcionamento do comércio eletrônico começam a pairar diante de nós: vai dar certo? É muito difícil manter uma loja on-line? Terei lucro? Escolho quais produtos para vender? E a crise?

Quem empreende virtualmente precisa ter consciência de que conhecer o mercado, avaliar as possibilidades e fazer um bom planejamento é a chave para aumentar as chances de sucesso nesse tipo de empreendimento.

Neste artigo, listamos um passo a passo para que você consiga definir quais produtos deve vender na sua loja on-line. Continue a leitura e confira!

1. Público-alvo

Quando você pensa em um determinado produto que parece o ideal para vender na internet, é importante fazer uma reflexão sobre o público-alvo dele. Para isso, é necessário pesquisar, e a própria internet pode te ajudar nisso.

Com um conhecimento razoável em SEO (otimização para mecanismos de busca), você pode investigar palavras-chave relacionadas ao seu produto de interesse, averiguar o volume de busca e o perfil das pessoas interessadas naquele serviço ou produto.

Existem também algumas perguntas que podem te ajudar a discernir melhor qual seu público. Digamos que sua loja virtual seja voltada para idosos. Você pode começar se perguntando: qual a quantidade de consumidores com mais de 60 anos que acessa a internet e realiza compras on-line? A compra seria feita pelo próprio idoso ou alguém que mora com ele? Com base nessa reflexão, você tem um maior esclarecimento sobre os hábitos de consumo do seu público.

2. Mercado

O segundo ponto que você deve pensar, como gestor de uma loja on-line, é sobre como funciona o mercado. O serviço ou produto oferecido precisa atender aos anseios de um segmento ou nicho específico. Caso o seu produto seja destinado para um grupo em particular, analise as seguintes questões:

  • quem são seus concorrentes;
  • sazonalidade das vendas (elas estarão aquecidas apenas em datas comemorativas e outras situações específicas?);
  • se existe um número suficiente de consumidores interessados em adquirir seu serviço ou produto;
  • se essa quantidade de pessoas interessadas sustentaria seu negócio.
  • A vantagem em atender um público-alvo segmentado é enfrentar uma concorrência menos acirrada do que em mercados de maior abrangência. Porém, o caminho para se atingir o coração da clientela exige esforço e, sem uma boa estratégia, esse feito se torna difícil de ser realizado.

Outro risco é querer segmentar excessivamente e não ter público suficiente que compre o seu produto. Por exemplo, shampoo para cabelos afro? Excelente! Shampoo para cabelos afro quimicamente tratados? Ok. Shampoo para cabelos afro quimicamente tratados, tingidos, com problemas de ponta dupla e que estejam em dreadlock? Segmentado demais.

3. Concorrência

Você já parou para analisar o mercado competitivo do produto que deseja vender? Da mesma forma que o exemplo do tópico anterior é segmentado demais e pode apresentar dificuldades na hora de encontrar público, quando se aposta em algo cujo mercado está saturado você se depara com a mesma situação: a venda torna-se difícil.

Faça uma avaliação sobre a concorrência. Veja se esse mercado está saturado, se tem poucos concorrentes e como eles se comportam. Quando se depara com um mercado que está repleto de concorrentes, seu desafio aumenta, pois você deve buscar maneiras eficazes de atrair a atenção do consumidor e aumentar sua participação no segmento em que atua.

Algumas dicas podem te ajudar a ter maior clareza nisso, como:

  • evite concorrer com grandes lojas que vendem bens duráveis: o custo delas para produzir, estocar e vender produtos é certamente muito menor que o seu;
  • produtos portáveis ou de maior facilidade na entrega, como livros, CDs, sapatos, ou mesmo produtos digitais, como cursos online e e-books, apresentam bons resultados no mercado digital;
  • seja transparente com o consumidor: muitas lojas não vendem tão bem quanto poderiam por não darem informações detalhadas sobre o serviço ou produto que oferecem;
  • ofereça diferentes formas de pagamento e um bom serviço de atendimento ao cliente caso ele precise tirar alguma dúvida ou fazer uma reclamação.

4. Interesse pelo produto

No tópico “Mercado” deixamos claro que você precisa ter a consciência da sazonalidade da venda de certos serviços e produtos. Nem tudo o que pode ser vendido apresenta uma procura uniforme e constante durante todo o tempo.

Você precisa identificar se o que você quer oferecer ao consumidor vai ser bom o suficiente para perdurar, para que suas vendas não acabem na próxima tendência ou no próximo modismo — a não ser que você tenha recursos para engatilhar um novo sucesso na temporada seguinte.

Quer produzir um frozen yogurt? Ou uma paleta mexicana? Esses dois exemplos são clássicos recentes que explicam bem esse tópico. Febres em verões passados, a procura por esses dois produtos caiu vertiginosamente. Quem, atualmente, tem interesse por eles? Será que sua ideia sofre dessa mesma limitação?

Novamente, a internet pode ser uma excelente aliada para lhe ajudar a avaliar isso. O Google Trends é uma ferramenta que permite conhecer tendências comportamentais e de consumo na internet. Por meio desse recurso on-line, você consegue saber, em um determinado período, qual é o grau de interesse das pessoas sobre qualquer assunto. É possível saber se a atração do público é algo corriqueiro, constante ou em pleno crescimento.

5. Fornecedores

Outro ponto bem importante na hora de definir os produtos da sua loja virtual é saber como será o fornecimento de seu produto e o volume de oferta na sua região de atuação. Se sua produção é local e o bem é facilmente encontrado tanto na internet quanto em lojas físicas, você precisará de alguns artifícios para torná-lo mais atraente no seu e-commerce do que fora dele. Qual será o seu diferencial? Entrega rápida? Frete grátis? Preço? Algum valor agregado (explicaremos mais à frente)?

Quando for escolher um produto para vender on-line, tenha em mente que os fornecedores serão os seus maiores parceiros. Verifique se será possível obter um preço competitivo com eles. Caso venda tudo rapidamente, eles conseguirão repor com rapidez?

6. Peso e volume

O peso e o volume do produto que você escolher impacta diretamente na performance da sua loja virtual. O ideal é que ele não seja grande ou pesado demais, pois isso dificulta a armazenagem do seu estoque e o processo de entrega. Produtos que são grandes e muito pesados necessitam de fretes mais caros, o que nem sempre é vantajoso para o consumidor final.

O numero cada vez maior de usuários de internet no Brasil, sobretudo da classe C, é um fator extremamente importante a ser levado em conta. Se você não pode entregar produtos baratos e acessíveis, então você terá que focar em quem pode pagar, e cumprir com a demanda de um público mais abastado pode ser uma tarefa ainda mais complicada.

Imagine que, além dos gastos com o armazenamento no estoque e com o envio, você terá outros mais com a embalagem do produto. O preço, nem sempre, poderá compensar para o seu negócio.

7. Valor agregado

Chegamos ao valor agregado do produto. O item que você pretende vender tem um valor agregado alto ou baixo para o seu negócio? Vamos a um exemplo: digamos que você venda máscaras para dormir. Para ter R$ 100,00 de lucro, você deveria vender 200 máscaras. O valor agregado desse produto é baixo, se compararmos com um televisor, cujo valor de venda de uma unidade rende R$ 300,00 de lucro.

Em meio a isso tudo, existe o valor emocional ou social de um determinado produto, que é algo que vem ganhando cada vez mais espaço. Suponhamos que você venda brincos ou capas de celular. Porém, em vez de serem meros acessórios de embelezamento, você os associa a um determinado grupo de interesse. Por exemplo: brincos produzidos com material reciclável e estilizado com temas da natureza.

Que tal colocar essas dicas em prática na sua própria loja virtual?

O acesso à informação e as discussões que isso tem gerado vêm produzindo também um maior engajamento dos consumidores em alguns temas. Seu produto pode ser valorizado por meio de ações coerentes que atendam os interesses desses grupos.

Por esse motivo, é importante que você escolha bem os produtos que vai vender. Caso tenham um valor agregado baixo, prepare-se para arregaçar mais as mangas e fazer com que o estoque seja esvaziado e reposto mais rapidamente.

8. Produtos e serviços de sucesso

Existem alguns segmentos que seguem fortes, mesmo com a crise, e outros que ainda podem ser explorados, mas não recebem a devida atenção dos empreendedores.

Abaixo apresentamos alguns deles, confira!

Petshop

São poucos os donos de pet shop que se atentaram à possibilidade de expandir os seus negócios por meio da internet. Muitos deles ainda estão presos na ideia de que a venda de animais seria o produto mais vantajoso e esquecem que podem comercializar shampoos, coleiras, escovas, cobertores e diversos outros artefatos que são baratos e têm boa procura.

Artigos para festas

Por conter um fator emocional, que são as datas comemorativas de crianças ou pessoas mais velhas, esse segmento mantém certa estabilidade mesmo em tempos de crise. Ainda que as pessoas procurem economizar e fazer festas mais enxutas, há sempre alguma demanda por artigos para celebrações durante o ano.

Nesse ramo existe ainda a oportunidade de alugar material, ou mesmo oferecer serviços como animação de festas com palhaços e possibilidades diversas. Considere sempre a perspectiva de ir além do comum. Destaque-se!

Produtos infantis

Outro tipo de artigo que tem um forte apelo emocional e também é extremamente necessário são os produtos infantis. Itens como fraldas, babadores, carrinhos de passeio, berços e tantos outros são indispensáveis para famílias com crianças pequenas.

A vantagem está justamente no fato de que são produtos que as famílias precisam e que, independentemente da situação econômica que o país atravessa, a procura por eles continua acontecendo.

Celulares

O rápido desenvolvimento tecnológico somado à curta durabilidade de aparelhos celulares faz com que os consumidores constantemente busquem por novos produtos. O resultado é um aquecimento constante desse segmento.

Inclusive, a média de compra de celulares no Brasil tem superado o restante do mundo, bem como o uso desse tipo de aparelho para acessar a internet abrindo novas possibilidades de negócio no segmento.

Aplicativos para celulares

O amplo uso de dispositivos móveis abre também inúmeras possibilidades para desenvolvedores empreenderem suas ideias. Aplicativos para pedidos de comida (delivery), compra de calçados, roupas e tantos outros produtos ou serviços oferecem uma gama diversa de atuação.

Isso traz a possibilidade de você criar um aplicativo associado a sua loja virtual, no qual você pode oferecer não apenas o que você vende, mas notícias e informações sobre produtos, estimulando o consumo do usuário do seu aplicativo.

Calçados, roupas e itens de moda

Pelo custo relativamente baixo de compra e de frete, além da facilidade de entrega com pouco risco de danos, a compra de calçados, roupas e acessórios de moda em geral tem boa aceitação com os consumidores no meio digital.

Em datas comemorativas como Dia das Crianças, Dia das Mães, dos Pais ou Natal, só para citar alguns exemplos, você ainda pode desenvolver ações promocionais para movimentar mais as vendas.

8. Frequência de compra

Apesar de itens como celular terem boa venda, você já se perguntou quantas vezes por ano o público brasileiro compra um smartphone novo? E produtos de limpeza?

Pensando nisso, é possível imaginar a frequência de compra dos produtos que você vai vender na sua loja virtual. Se o produto em questão for um smartphone, é mais certo que você precise, durante mais de um ano, receber pedidos de vários compradores diferentes, já que um mesmo cliente, provavelmente, não comprará mais de um smartphone em um intervalo de 12 meses.

O mesmo não ocorre quando você vende produtos que saem mais rapidamente, como as capinhas para celular, produtos de limpeza, comida, vestuário e afins. Se as vendas forem espaçadas, você precisará desenvolver um negócio que gere lucros maiores com cada venda, a fim de se manter no mercado.

Pense na saída do seu produto antes de escolher o que vai vender. O ideal é que você consiga fazer um misto entre o valor agregado deles e a frequência de compra, para ter acesso a margens de lucro mais interessantes.

Como pode ver, fazer uma boa escolha de venda para sua loja virtual exige conhecimento e pesquisa. É muito bom ter gosto pela atividade comercial, para que isso te faça ir além, e não desistir na primeira dificuldade. Porém, apenas paixão não é o suficiente, e é preciso analisar com seriedade quais são suas reais possibilidades para que não haja desperdício de tempo e recursos.

Gostou das nossas dicas sobre os melhores produtos para loja virtual? Assine nossa newsletter e receba outros conteúdos com mais informações valiosas diretamente em seu e-mail!

Deixe uma resposta

Envie este artigo para um amigo...

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on email
Email
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest

Achamos que você vai se interessar também...

Consultoria grátis?

Receba semanalmente as dicas dos nossos experts em comércio eletrônico.

Prometemos nunca enviar SPAM.